Sobre o blog

Chapada Diamantina, vista da Estrada para Lençois-BA - Itamar Freitas, 2015.
"Ensinar e aprender história" foi criado, inicialmente, para disponibilizar 100% da minha produção. Com o passar do tempo, transformou-se em ferramenta de interação com os alunos da graduação e da pós, como indicam os títulos das disciplinas referidas em cada aba. Aqui divulgo resumo de aulas, notícias sobre congressos, lançamentos de publicações, defesas de teses e dissertações e minicursos. 

Sou Itamar Freitas, licenciado em História (UFS, 1996), especialista em Organização de Arquivos pela (USP, 1997), mestre em História Social (UFRJ, 2000), doutor em Educação (PUC/SP, 2006), pós-doutor em História (UnB, 2014). Atuo como professor do Departamentode História da Universidade de Brasília (2015) e 
aluno do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2015).

Tenho experiência nas áreas de gestão universitária, docência presencial e a distância e já trabalhei como parecerista de várias edições do Programa Nacional de Avaliação do Livro Didático (PNLD). Meus principais interesses são: teoria da história e aprendizagem histórica, história do tempo presente, produção, avaliação e história da historiografia didática. 

Abaixo estão disponibilizados os trabalhos que desenvolvi nas referidas áreas. Se algum link que te interessar não possibilitar o acesso direto, por favor, envie mensagem para itamarfo@gmail.com.

Obrigado pela visita!



LIVROS                                                                                                               


 Didáticas da história: entre filósofos e historiadores (1690-1907)

Aqui estão reunidas as aulas do segundo curso de extensão que o professor Itamar Freitas ministrou (agosto/outubro de 2014) durante o estágio de Pós-Doutorado no Programa de Pós-Graduação em História (PROHIS) da Universidade de Brasília (UnB). O curso explorou as noções de história, pensamento histórico e usos da história na formação de pessoas em alguns filósofos e historiadores que se ocuparam da matéria entre os séculos XVIII e XX. Os textos discutem elementos que nos nos permitiram pronunciar as expressões "ensino de história" e "didática da história" com total espontaneidade e até defendê-las como domínios dos historiadores.



 Aprender e ensinar história nos anos finais da escolarização básica

Este livro foi editado como estímulo à reflexão sobre o impensável – aquilo que já supomos dominar e também aquilo sobre o qual raramente ouvimos, ou queremos ouvir falar. Em síntese, tentamos responder às seguintes questões: quais são as finalidades da disciplina escolar história? É possível aprender história entre os 11 e os 17 anos? Os conceitos históricos vêm das fontes ou do aparato cognitivo do historiador? Qual é a natureza dos conteúdos históricos? O que se espera que os alunos dos anos finais aprendam com o nome de história? O que dizem as prescrições curriculares estrangeiras?




 Didática para licenciaturas

Nesta obra, a Didática é uma disciplina universitária, componente de cursos de formação inicial de professores que tem como principais objetos o ensino, a aprendizagem, os conteúdos e a avaliação. Didática é também um campo de investigações e, como tal, possui suas controvérsias, linhas tendências, correntes, paradigmas e modelos. As respostas às suas clássicas questões (o que é aprender, o que é ensinar, como selecionar conteúdos e como avaliar) são fornecidas por oito teóricos da educação: João Amós Comenius, John Locke, Johann Friedrich Herbart, F. Burrus Skinner, Ralph W. Tyler, Jerome Bruner, David Ausubel e Philippe Perrenoud.



Oito narrativas compõe um quadro do ensino de história no Brasil: (1) a historiografia didática de Sílvio Romero e de João Ribeiro (1890/1900) e de (2) Joaquim Maria de Lacerda (1880/1918); (3) o ensino de história nos congressos sobre o ensino secundário brasileiro (1922/1934); (4) os pedagogos e o ensino científico de história (1880/1935); (5)  a invenção dos "tests" no ensino secundário (1928/1935); (6)  as inovações do professor Cesarino Júnior no o ensino secundário em São Paulo (1928/1936);  (7) a ação da Comissão Nacional do Livro Didático (CNLD); e (8) as origens do ensino superior de história no Brasil (1908/1946).


Este livro nasceu das aulas de Fundamentos teórico-metodológicos do ensino de História, ministradas aos alunos do curso de Licenciatura em pedagogia e em história, nos anos 2006 e 2007, na Universidade Federal de Sergipe e explora: a aprendizagem histórica do professor, noções elementares de teoria da história e de história da historiografia escolar, singularidades da disciplina escolar história, saberes históricos docentes, políticas públicas destinadas ao ensino de História, currículos, aprendizagem histórica das crianças, conteúdos conceituais, métodos de ensino, livros didáticos e paradidáticos de história.


Esta obra examina 27 títulos de livros didáticos regionais (LDR) distribuídos pelo PNLD 2007, partindo de um programa de estudos mínimos baseados nas áreas que incidem sobre a avaliação desses artefatos, a saber: história (teoria e história da historiografia), pedagogia (psicologias da aprendizagem e do ensino), linguística (textual e análise do discurso), e design (gráfico), além da observância de algumas demandas sociais incorporadas recentemente pelo Estado (inclusão da experiência e melhoramento da imagem das sociedades indígenas) e também de interesses da política exterior brasileira (as representações sobre a América).



 A Pedagogia histórica de Jonathas Serrano (1913-1935)


Esta obra demonstra que houve, no Brasil, entre os anos 20 e 30 do século passado, um movimento gradual em torno da construção de uma teoria para o ensino de história, cujas marcas destacáveis são: o debate sobre a natureza do ensino, empreendido por técnicos e docentes de escolas normais e mestres do Colégio Pedro II, as comissões ministeriais que produziram programas de história, as iniciativas de uniformização da história a ser ensinada em todo o país a partir de 1931, a publicação de manuais de metodologia de ensino e a instituição de cursos de formação de professores para o ensino secundário nas faculdades de filosofia e de educação.


Este livro trata da historiografia produzida sobre Sergipe, principalmente, por nascidos no Estado ao longo dos últimos dois séculos. Aqui, são abordados: a historiografia elaborada nos limites de uma agência historiadora (IHGS, DHI/UFS), a obra de historiadores (clássicos do século XIX e noviços universitários), algumas dimensões da experiência local (econômica, política, social e cultural), um recorte cronológico (historiografia do século XIX) um recorte espacial (historiografia sobre Aracaju) e o trabalho heurístico (busca, tratamento e modo de conservação das fontes).



 Histórias do ensino de História do Brasil (1880-1945) (v.1)

Aqui tratamos das ideias de escrita da história sob a forma da metódica, disseminada por Afonso D'Escragnolle Taunay (1914-1918) e de Francisco Isoldi (1931-1932), pedagogias reinantes no Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, no início da República, uma experiência de escrita de história universal, por José Estácio Correia de Sá e Benevides (1890-1903), as ideias de história e ensino de história veiculadas no Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (1894-1940), na Introduction aux études historiques, de C. V. Langlois e C. Seignobos (1898-1903), nos textos de Fernand Braudel (1936), Murilo Mendes (1935) e Genolino Amado.


A escrita da história na "Casa de Sergipe" conta um pouco da história do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe (IHGS) e analisa a Revista do grêmio sob os seguintes aspectos: produção e circulação do periódico, autores, textos e distribuição da matéria, contribuição heurística, contribuição geográfica, contribuição historiográfica, os gêneros biografia e memória, os enunciados, as ideias de história e os modos de produzir a história. Ao final, apresenta o resumo dos artigos publicados entre 1912 e 1999 e os índices analítico e de autores da Revista do IHGS.





CAPÍTULOS DE LIVRO                                                                                      

  1. Programa Nacional del Libro Didáctico - PNLD: proceso de una política y possibilidades de perfeccionamento (com Margarida Oliveira) 
  2. Professor na França tem que ter mestrado
  3. Experiência indígena entre historiadores profissionais e possibilidades de transposição didática (2005-2009)
  4. Tempo presente e historiografia didática destinada ao ensino médio (2002-2011) (Com Jane Semeão)
  5. A escrita da história para as crianças brasileiras (1908/2006)
  6. Novas tendências da historiografia brasileira e as (im)possibilidades de transposição didática em termos de prescrição curricular no início do século XXI (Com Jane Semeão e Margarida Oliveira)
  7. A experiência indígena no ensino de História
  8. Histórias que contam os livros didáticos de história regional
  9. A "fixação dos conteúdos históricos" nos livros didáticos de História regional
  10. Temáticas indígenas nos livros didáticos de História regional
  11. Penúltima notícia sobre a história da Pedagogia no Brasil
  12. Ensinar História nos anos iniciais do Ensino Fundamental (2009)
  13. Livro didático: definições, representações e prescrições de uso (2009)
  14. Ensino de História e formação do historiador: a experiência dos manuais de Introdução à História (2009)
  15. As histórias de Santiago e do seu Anuário (2009)
  16. Memória do Arquivo do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe (2009)
  17. Erudição histórica e livro didático de História na Primeira República: as experiências de Sílvio Romero e João Ribeiro (2008)
  18. Penúltima notícia sobre a história da Pedagogia no Brasil (2008)
  19. A ação do PNLD em Sergipe e a escolha do livro didático de História (2005/2007) (2007)
  20. A escrita da história para as séries iniciais: o texto didático em questão (2007)
  21. Programa de conteúdos e ementário da disciplina História

ARTIGOS EM REVISTAS                                                                              

  1. A formação do profissional de história na contemporaneidade
  2. O tempo presente nos programas do colégio na França: fins, conteúdos substantivos e formas de progressão (1998-2008)
  3. Critérios de qualidade para o livro didático de história nos Estados Unidos (1984-2014)
  4. Cultura histórica e livro didático ideal: algumas contribuições de categorias rüsenianas para um ensino de História à brasileira (Com Margarida Oliveira)
  5. A formação do profissional de história na contemporaneidade (Com Margarida Oliveira)
  6. Aprendizagem histórica nos parâmetros curriculares nacionais para o ensino de história e de estudos sociais nos Estados Unidos da América (1994-2014)
  7. O Contemporâneo e o Tempo Presente nos Currículos Escolares de História nos EUA e no Brasil (2002 2012) (Com Jane Semeão e Margarida Oliveira)
  8. Reformas educacionais e os currículos nacionais para o ensino de história no Brasil republicano (1931/2009)
  9. Desafios da formação inicial para adocência em história (Com Margarida Oliveira)
  10. Historiografia didática e prescrições estatais sobre conteúdos históricos em nível nacional (1931-2012) (Com Margarida Oliveira)
  11. Usos da história na formação de pessoas: as experiências do Marquês de Condorcet (1743-1794) e de Immanuel Kant(1724-1804)
  12. Tempo presente nos currículos escolares de história no Brasil para os anos iniciais do ensino fundamental (2007-2012) (Com Jane Semeão)
  13. Currículos de História e expectativas de aprendizagem para os anos finais do ensino fundamental no Brasil (2007-2012) (Com Margarida Oliveira)
  14. A "vulgata histórica" ou o que todo "indivíduo de certacultura" deveria conhecer sobre o mundo no início do século XX
  15. História do Brasil para crianças: o livro escolar nos primeiros anos daRepública e a iniciativa de Joaquim Maria de Lacerda
  16. Uma versão católica para a História do Brasil nos anos 1930
  17. As palavras ou as coisas? O lugar da História na educação do 'Emílio'
  18. Memórias de Canudos
  19. História e Escola Nova: as inovações do professor Cesarino Júnior para o ensino secundário em São Paulo (1928/1936)
  20. A historiografiadidática na Comissão Nacional do Livro Didático: os pareceres de JonathasSerrano (1939/1941) 
  21. A invenção dos testes no ensino secundário de história
  22. Bibliografia historiográfica sobre o século XIX
  23. A pedagogia da história de Murilo Mendes- São Paulo (1936)
  24. O estilo pedagógico de Genolino Amado
  25. Por dentro dos arquivos
  26. Itinerários do ensino superior de História no Brasil: primeiras leitura
  27. Descortinando o século XIX
  28. A Revista em Sergipe
  29. A ideia de história em Sebrão Sobrinho
  30. Antônio conselheiro em Sergipe

TRABALHOS PUBLICADOS EM ANAIS                                                          

  1. História oral: entre método, técnica e recurso didático para o ensino de História (1887/2004)
  2. A aposentadoria do professor provincial em Sergipe (1834/1880) (2005)
  3. Ensino de história na epistemologia e na moral de David Hume(1734-1751) (Com Victor Vladimir)
  4. Notas de convalescença sobre impressões de doença na culturaalemã: o lugar do ensino de história na filosofia do jovem Friedrich Nietzsche(Com Victor Vladimir)
  5. O Brasil nas histórias do século XX
  6. O valor dos estudos históricos no Tratado de ensino (1530) deJoan Luis Vives
  7. Tempo presente e historiografia didática (2002/2012) (2012) (Com Jane Semeão)
  8. O contemporâneo e o presente nos currículos de história dos EUA (2002/2010) (2012)
  9. Retrato do mundo e da natureza da humanidade : o lugar do ensino de História na educação do futuro burguês, segundo John Locke (1677/1703)
  10. Sobre os usos da história na formação de pessoas entre osséculos XVI E XVII ou dos modos de ensinar e aprender história
  11. As atividades nos livros didáticos de história regional
  12. Recortando o tempo nos livros didáticos de história regional distribuidos pelo PNLD 2007
  13. Livros didáticos de história regional: uma proposta de análise historiográfica
  14. Linguagem infantil e afetação pedagógica
  15. Os impressos pedagógicos e o ensino de história (1880/1940)
  16. História e Escola Nova: as inovações do professor Cesarino Júnior para o ensino secundário em São Paulo (1928/1936)
  17. A propedêutica da História de Hennry Steel Commager (1967) (2007)
  18. A vulgata histórica nos livros didáticos; uma aproximação através dos títulos de capítulos e de unidades das coleções do PNLD 2005
  19. Livros didáticos de história: notas sobre a história da avaliação no Brasil República
  20. História do Brasil para Crianças: a iniciativa de Sílvio Romero
  21. Ensino Médio Noturno: impasses e questões para a pesquisa
  22. História de Sergipe para crianças: a iniciativa de Acrísio Torres de Araújo (Com Hermeson Menezes e Christiane Gally)
  23. A pedagogia da história de Murilo Mendes (São Paulo, 1935)
  24. A história ensinada na história erudita: São Paulo, 1894/1940
  25. O ensino de história na Escola Normal da Praça (São Paulo-SP)
  26. A pedagogia da História de Jônatas Serrano
  27. A pedagogia da história de Fernand Braudel
  28. João Ribeiro e o ofício do historiador: seus leitores, suas prescrições
  29. O ensino de história na Escola Normal da Praça: São Paulo, 1890/1931
  30. A história ensinada na história erudita: São Paulo, 1894/1940
  31. Fontes orais para a História contemporânea de Sergipe
  32. A Velha História francesa no ensino superior: o exemplo de Affonso D Escragnolle Taunay na Faculdade de Filosofia e Letras de São Paulo (1908)
  33. Historiografia das cidades sergipanas (Com Terezinha Oliva,Péricles Andrade e Elissandra Silva)

TESE / DISSERTAÇÃO / MONOGRAFIA DE GRADUAÇÃO                               

  1. A Pedagogia histórica de Jonathas Serrano: uma teoria do ensino de História para a escola secundária brasileira (1913/1935)
  2. A "Casa de Sergipe": historiografia e identidade na Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe (1913/1929)
  3. A escrita da história em Sebrão Sobrinho: uma análise das Laudas da História do Aracaju


OUTRAS PUBLICAÇÕES                                                                             


  1. Qual ensino, qual passado (Prefácio)
  2. Aracaju: uma história em quadrinhos v.2 
  3. Aracaju: uma história em quadrinhos v.1 
  4. Sete notas sobre quadrilhas juninas em Aracaju
  5. Dicionário da província de Sergipe (Com Francisco José Alves)
  6. Catálogo do acervo documental da Casa de Cultura João Ribeiro (Com Gabriela Zelice e Verônica Nunes)
  7. A prática do culto afro-religioso em Sergipe


POSTAGENS ON LINE INÉDITAS EM COMUNICAÇÕES CIENTÍFICAS                   


  1. Finalidades da disciplina escolar história no Brasil republicano (1900-2015)
  2. Base nacional curricular comum em Cuba
  3. Menos doutrinação e mais objetividade no jornalismo!
  4. “Base nacional comum” na África do Sul (1997-2014)
  5. Base nacional comum: a experiência francesa
  6. Base Nacional Comum do Currículo em debate
  7. Historiador-alfabetizador?
  8. II Seminário "Debates do Tempo Presente"
  9. Didática da história em Johann Gustav Droysen
  10. Tempo presente em discussão na UFS
  11. X Encontro Nacional dos Pesquisadores do Ensino deHistória na Universidade Federal de Sergipe
  12. Sergipe recebe pesquisadores do ensino de história de todoo Brasil nesta terça-feira (15/10/2013), na UFS.
  13. I Seminário Nacional História e Contemporaneidades
  14. Didática da história é destaque em Iporá-GO
  15. História e Contemporaneidades
  16. Estados americanos e ensino de história
  17. Política pública para o livro didático no Brasil
  18. A história local e currículos de história (2007/2011)
  19. História para crianças nos currículos de Estudos Sociaisnos Estados Unidos da América (2002/2010)
  20. O que deve “saber” e “saber fazer” o profissional deHistória?
  21. Ensino de História nos currículos de doze municípiosbrasileiros (2000/2010)
  22. Perspectivas desenvolvimentais, aprendizagem epossibilidades de progressão a partir da obra de Jerome Bruner
  23. Perspectivas desenvolvimentais, aprendizagem epossibilidades de progressão a partir da obra de Lev Semenovich Vigotsky
  24. Conteúdos e progressão dos conteúdos no ensino de História(2): as potenciais contribuições dos teóricos do desenvolvimento (Jean Piaget)
  25. Ensino de História em Manoel Bomfim: um instrumento deeducação moral e mental a serviço da revolução (1915/1926)
  26. Matinho Lutero: o valor da escola e o ensino de História(1524/1530)
  27. O americanismo progressivista de João Roberto Moreira e oensino de História para a "moderna" escola primária brasileira (1960)
  28. Experiência indígena e ensino de História nos currículospós-primários brasileiros (1841/2006)
  29. Herbert Spencer e a História que não traz felicidade
  30. A pesquisa sobre as temáticas indígenas nos livrosdidáticos de História (1980/2010)
  31. Questões de gênero em sociedades indígenas
  32. História em quadrinhos e narrativa histórica
  33. Composição de imagens para impressos educacionais: relatode uma experiência
  34. Formação continuada
  35. O Tenentismo no livro didático
  36. Currículos e programas de outros tempos: a experiência dosestudos médios no Brasil (1890/2004)
  37. A identidade do ensino médio e a proposta da integração
  38. A vulgata histórica nos livros didáticos do PNLD 2005
  39. Fausto Cardoso e a teoria da história
  40. Negros, brancos e índios”: ideologia e poder nos manuaisdidáticos de História de Sergipe
  41. Raimundo Faoro: lições de síntese
  42. Um modelo ideal para a história da historiografia brasileira
  43. Patrimônio cultural sergipano

ARTIGOS EM JORNAL                                                                               

    1. Cartografias do insucesso no curso de licenciatura em Química da UFS
    2. Cartografias do insucesso - evasão nos cursos de licenciatura em Física da UFS
    3. Cartografias do insucesso na licenciatura em Física da UFS
    4. Cartografias do insucesso nos cursos de licenciatura da Universidade Federal de Sergipe
    5. Pode-se ainda formar professores?
    6. Techné ou Paideia? Os gregos e a formação de professores no Brasil
    7. Lições inglesas e formação de professores no Brasil
    8. Quem não quer estudar na UFS?
    9. Crítico "à beça" (2006)
    10. Uma teoria da História no discurso de Sílvio Romero (2005)
    11. A penúltima corografia de Aracaju
    12. Sete notas sobre a Quadrilha
    13. Uma teoria da história no discurso de Sílvio Romero
    14. Bibliografia historiográfica do século XIX (IV)
    15. Bibliografia historiográfica do século XIX (III)
    16. Bibliografia historiográfica do século XIX (II)
    17. Bibliografia historiográfica do século XIX (I)
    18. Os Sergipenses de Oliveira Telles
    19. Procura-se um biógrafo
    20. Retalhos de Severiano Cardoso (Final)
    21. Retalhos de Severiano Cardoso (I).
    22. Os tesouros da biblioteca do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe
    23. Silvio Romero e a pedagogia da história. A Semana em Foco, Aracaju, p. 6B - 6B, 22 ago. 2004.
    24. Álbum de Sergipe e a historiografia de Clodomir Silva
    25. As laudas da história do Aracaju
    26. Penúltima corografia de Aracaju
    27. Sílvio Romero e a pedagogia da História
    28. O Gabinete de Leitura "Tobias Barreto"
    29. Um laranjeirense em Berlim
    30. Representações da cidade de Aracaju no livro de leitura "Nosso Brasil" (1948), de Luís Amaral Wagner
    31. Mãe, a primeira professora de História
    32. Por dentro dos arquivos: a experiência do Arquivo do Poder Judiciário
    33. Os tesouros da Biblioteca do IHGS
    34. Leituras sobre a história de Aracaju: Sebrão Sobrinho
    35. Leituras sobre a história de Aracaju: Fernando Porto
    36. Leituras sobre a história de Aracaju: José Calazans
    37. Leituras sobre a história de Aracaju: Padre Aurélio de Almeida
    38. Alfredo Cabral e a História universal
    39. A breve história de Carlos Burlamaque
    40. A História da educação faz 20 anos
    41. A "guerra" das propedêuticas e o "terremoto" de Lisboa
    42. A República de Curvello de Mendonça
    43. A "Civilização" de Thetis Nunes
    44. O esboço do Padre Aurélio
    45. O hipertexto de Fernando Porto
    46. A memória do futuro
    47. A História de Sergipe na escola republicana
    48. Um resumo da história de Sergipe
    49. Os anos dourados da "Urbis propriaensis"
    50. Do outro lado da Germânia
    51. Para a história de Itabaianinha
    52. Silvério Fontes outra vez
    53. Leituras sobre a história de Aracaju: Silvério Fontes
    54. Retalhos de Severiano Cardoso
    55. Procura-se um biógrafo
    56. Os sergipenses de Oliveira Teles
    57. Entre poeta e historiador
    58. A Igreja Católica em Sergipe no século XIX
    59. Bibliografia historiográfica do século XIX
    60. Historiografia de almanaque
    61. O povismo de Clodomir Silva
    62. O sergipanismo de Nunes Mendonça
    63. O ensino agrícola em Sergipe
    64. O amado Genolino
    65. Delenda ferrovia!
    66. Histórias da BR-101
    67. A alma de Domingos Guedes Cabral
    68. Da palavra "Sergipe": a versão de João Vampré
    69. Tempos de ciência, templos de civilização
    70. Ecos da história pátria
    71. O recado das elites
    72. A licenciatura em História faz 50 anos
    73. Os municípios em revista
    74. Da Bahia a Pernambuco
    75. Os intelectuais de Armindo Guaraná
    76. História de Sergipe para as crianças
    77. A República de Lacerda
    78. A República de Baltazar Góis
    79. Novos fragmentos de Sebrão Sobrinho
    80. O sergipanismo de Prado Sampaio
    81. O sergipanismo do historiador Sebrão Sobrinho (1898/1973)
    82. Os pés-de-anjo na historiografia da educação
    83. O calvário de Silva Lisboa
    84. O livro didático de História de Sergipe
    85. Um modesto contador de escravos
    86. Diálogos com José Calazans (I): a historiografia sobre Sergipe nos últimos 30 anos
    87. Diálogos com José Calazans (II): a historiografia sobre Sergipe nos últimos 30 anos
    88. Diálogos com José Calazans (III): a historiografia sobre Sergipe nos últimos 30 anos
    89. Diálogos com José Calazans (IV): a historiografia sobre Sergipe nos últimos 30 anos
    90. Diálogos com José Calazans (V): a historiografia sobre Sergipe nos últimos 30 anos
    91. Por uma história da Universidade Federal de Sergipe
    92. Indicadores da nova historiografia sergipana
    93. Verdades sobre jornais
    94. O historiador e suas fontes
    95. Um catálogo de memórias
    96. A Aracaju que eu não vivi
    97. Sobre a "Missão de Pacatuba"
    98. Culturas proto-sergipanas
    99. História do Engenho São Félix
    100. Mais um número da Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe
    101. Aracaju: cartografia do perfume
    102. Artista da terra, que bicho é esse?
    103. Contra guerreiros e reisados


      6 comentários:

      1. Bom dia professor Itamar.

        Gostaria de entrar em contato com o senhor para convidá-lo a participar da Conferência do prof. Bodo von Borries, que ocorrerá dia 17/05 as 18:30 hs. na sala Homero de Barros na Universidade Federal do Paraná. O tema da conferência será "Os jovens e a Consciência Histórica". A realização é do Laboratório de Pesquisa em Educação Histórica - Lapeduh.
        Rita de Cássia G. P. Santos

        ResponderExcluir
      2. Olá professor Itamar! Muito bom conhecer seu trabalho. Ao contrário do ser,. estou iniciando a caminhada com a historiografia. Acabei de terminar o curso e vou começar a dar aula. Quero mesmo é adquirir seu livro:"Fundamentos teórico-metodológicos para o ensino de história. Como consigo?

        email - alderoma@gmail.com

        Abraços..

        Romário Ney

        ResponderExcluir
      3. Olá Itamar, estou pesquisando para um documentário e queria muito conversar contigo. Qual é o seu e-mail? Obrigada! Isabella Moreira Gama (bellgama@gmail.com)

        ResponderExcluir
      4. Olá Professor Itamar Freitas,
        Estive no Encontro Nacional de Pesquisadores de Ensino de História com Célia Santana. Parabéns pela cobertura do evento.
        Parabéns pelo blog!
        Nahir
        Fortaleza -CE

        ResponderExcluir
      5. Boa noite professor Itamar! Sou aluno do mestrado em História da UFPB e estou pesquisando o Ensino de História nos três primeiros anos do Ensino Fundamental I. Trabalhando, assim, com a disciplina história para alunos em fase de alfabetização! Já li muitos trabalhos seus e tenho sido ajudado por suas reflexões. Comentei hoje com a minha orientadora, Dra Vilma de Lurdes Barbosa e Melo, que quero comprar o seu livro: Fundamentos Teórico-Metodológicos Para o Ensino de História (Anos Iniciais), mas não encontro onde comprar! O senhor poderia me informar onde e como consigo obter o livro? Tenho ele em PDF, mas quero o livro mesmo! Desde já agradeço!!! Isaac (icarsantosufpb@gmail.com)

        ResponderExcluir
      6. qual ano o senhor nasceu? Fazendo um fichamento e preciso saber mais afundo sobre a vida do Doutor.

        ResponderExcluir